sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Considerações Sobre 2012


Estamos todos na lama, ou talvez próximo dela.

Imagine só, quanta coisa foi descoberta em 2012, e tantas outras coisas foram graças a noticias que você ouviu e leu por meio de alguém.
CPI disso, catástrofes naturais daquilo, índices de criminalidade aumentando, além do índice de desenvolvimento educacional - como o Brasil consegue tanto aumento positivo em estatísticas numéricas e na real ser tão desigual?
Enfim, foram e continua acontecendo mudanças drásticas este ano.
Talvez seja um pressagio do fim do mundo?
Mas eu me pergunto!
Fim? Do mundo?
Mundo?
Planeta Terra?
Mundo?

Mundo é tudo que existe, sendo assim, não só o nosso planeta iria para os ares (olha que gozado, “ares” kkk’ o planeta está levitando em algum tipo de ares) como também o sistema solar inteiro, e os outros sistemas desconhecidos, e tudo que existe que não sabemos ainda que existe.

E projetamos nossas vidas em crenças que nos limita tanto quanto nos liberta.
Isso porque logicamente, se estamos crendo num possível fim, teríamos que viver de acordo com um incerto, e este incerto nos daria impulso em fazer tudo que gostaríamos de ter feito, ou seja, já que vai dar merda mesmo, vamos não nos arrepender do que faremos e sim do que não fizemos!

Porem, entretanto, todavia, vivemos de acordo com uma rotina que até a nossa morte tem que esperar que cumpramos nossos compromissos com o banco, escola, patrão, consulta médica, trabalhos, favores ...

- Alô é a Morte!
- E Morte, sabe o que é, to meio sem tempo pra você, preciso resolver uns problemas ali.
- Cara, eu sou a Morte, problema já era, você fumou, bebeu, se fudeu na vida para adiantar seus créditos comigo, tem disso não amigo, vamo resolver nossas parada que sua hora chegou!
- É eu sei, mas sabe como é, tenho muita coisa pendente sabe? E nem é coisa minha, é coisa de trabalho, dividas, sabe como é?
- kkk’ ô retardado, você teve a vida toda para priorizar a sua vida, mas ficou ai resolvendo problemas, já era.
- Tá, ok, mas dá pra pelo menos pedir perdão pro meu pai, e pro meu melhor amigo, e dizer para minha ex mulher que eu sempre gostei dela, só que não tinha tempo pra dizer isso?
- Não.
- ...

Ok gente, eu exagerei ai, mas é bem isso mesmo.
Estamos fadados a acreditar em crenças que nós criamos e, por meio dessas crenças fazemos escolhas insensatas que no dia a dia parecem ser “bobas”, mas que lá para frente – se a Morte não te pegar – terão conseqüências ruins.
Daí o parente, o amigo, o cachorro é obrigado a ouvir de você todo santo dia:

- Meu Deus, por que isso só acontece comigo? O vizinho faz coisa muito pior e eu tenho que sofrer tanto na vida, onde foi que errei?

Sua mente automaticamente procura por acontecimentos passados das quais levaram a estar no estado em que está e você, cala, e vai se fazendo de coitado esperando que alguém o remedeie com palavras de fé e otimismo.

Não é bem assim, talvez alguns não concordem, porque acreditam na lei do Karma, em vidas passadas, em macumba, em inveja alheia, mas, nada acontece por acaso, somos livres para escolher onde estamos e aonde estaremos ( assim como eu escolhi levar uma facada financeira ¬¬ )
Sem projeto de vida, sem ambição, sem metas e sem rumo, acabamos por  escolher qualquer coisa, ou a escolha que outra pessoa faz, para evitar a fadiga de querer pensar em escolher.

Mas é isso, a vida é escolha.
E se você não escolhe, alguém escolhe por você.
Acredite ou acrescente mais essa crença a sua vida.  

Abra os olhos.
See You Later !

8 comentários:

  1. belo texto Nanda. Infelizmente muitos vivem segundo a musica do Zeca Pacotinho: "Deixa a vida me leva / Vida leva eu" e isso acaba com a própria vida. Fazemos escolhas insensatas só porque não temos um objetivo na vida (ou temos objetivos toscos o bastante para tomarmos decisões irracionais)...

    ResponderExcluir
  2. Nanda, você é uma moça muito inteligente e soube conduzir o texto de forma sensata e transparente.

    O mundo é este mesmo e é assim que as pessoas (sobre)vivem. Infelizmente, a estupidez do ser humano tem prevalecido o amor, mas isso só ocorre porque elas escolheram a estupidez. A vida é feita de escolhas. Não adianta botar a culpa no próximo. A lei clama por posse, poder. O amor clama o ser, a arte de ser humano.

    Beijos,
    Nati.

    ResponderExcluir
  3. 'Imagine só, quanta coisa foi descoberta em 2012, e tantas outras coisas foram graças a noticias que você ouviu e leu por meio de alguém. CPI disso, catástrofes naturais daquilo, índices de criminalidade aumentando, além do índice de desenvolvimento educacional – como o Brasil consegue tanto aumento positivo em estatísticas numéricas e na real ser tão desigual?'

    não muita coisa foi descoberta em 2012, algum meio de comunicação de massa resolveu dar atenção a certos fatos que já estavam amplamente documentados, mas que esse ou aquele diretor de redação ou editor decidiu que não era o momento adequado para sua veiculação. Estatísticas de desenvolvimento, sejam de educação ou de melhora social, são a melhor maneira de esconder a situação cruel em que milhões vivem. Trabalhe cinco anos em um colégio, seja municipal ou estadual, que você vai constatar como a educação básica piora mais e mais. fiz recentemente uma viagem de ônibus e vi com meus próprios olhos a miséria social em que vivem duas cidades do Rio Grande do Sul, ambas coladas a Porto Alegre.

    ResponderExcluir
  4. 'Enfim, foram e continua acontecendo mudanças drásticas este ano. '

    quais mudanças drásticas? continuamos a ser um povo que prioriza campo de futebol a construir uma estrada ou colocar água encanada e esgoto nos bairros desesperadamente necessitados disso? não estão havendo mudanças coisa nenhuma, e não as haverão em um futuro próximo, pois somos todos preguiçosos, complacentes e insensíveis, cada um do seu modo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim tudo que aconteceu e continua acontecendo é drástico
      ( no meu ponto de vista claro , pode até ser que os noticiários encobriram por algum tempo as noticias que já existiam desde sempre, mas isso não muda o fato que as pessoas andam mais aterrorizadas que o de costume, olha o exemplo de chacinas em Goiânia? Sendo que estamos subindo no ranque de mortes por crimes banais no centro-oeste.
      Quanto ao resto do comentário, concordo.

      Excluir
  5. 'Isso porque logicamente, se estamos crendo num possível fim, teríamos que viver de acordo com um incerto, e este incerto nos daria impulso em fazer tudo que gostaríamos de ter feito, ou seja, já que vai dar merda mesmo, vamos não nos arrepender do que faremos e sim do que não fizemos!'

    quem crê que vá haver algum fim do mundo está perdendo seu tempo, criminosamente, até. e quem espalha essa crença deveria ser punido exemplarmente! o fim do mundo ou a morte não dão e nem darão avisos da sua hora de chegada!

    'somos livres para escolher onde estamos e onde estaremos'

    se nos permitirmos sermos livres. a maioria prefere ser carregada ao sabor dos fatos, por preguiça e conformismo.

    ResponderExcluir
  6. 'Sem projeto de vida, sem ambição, sem metas e sem rumo, acabamos por escolher qualquer coisa, ou a escolha que outra pessoa faz, para evitar a fadiga de querer pensar em escolher. Mas é isso, a vida é escolha. E se você não escolhe alguém escolhe por você. '

    alice cooper disse certa vez: 'se sua vida é ruim, porque você deu ouvidos a um padre, um professor ou a um pregador, então a culpa é só sua e você merece essa vida ruim'. e eu coloco aí nesse rolo os políticos, os psicólogos, os psiquiatras, os pais e os amigos também.
    a vida nos dá possibilidade de escolher, só que a partir de determinado ponto, ninguém mais fará escolhas por você, e aí, não adiantará implorar aos céus por ajuda, posto que Deus não passa de uma ficção criada pelos homens e a religião é uma ilusão decorrente disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também concordo com suas palavras, porém preciso ser imparcial quanto ao uso das religiões, e quando ao uso do nome Deus, porque entraríamos no quesito
      '' crenças '' e independente de uma pessoa ser ou não 99,99% racional o que ela diz ser, é uma crença.

      Cientistas políticos/sociólogos, pastores, incrédulos hoje tentam explicar porque tanto caos e desigualdade, isso em todas as partes dos planeta, mas tentar explicar, achar uma solução e partir para ação está muito longe de acontecer, como temos o livre arbítrio para escolhermos se queremos ou não viver mais e viver bem, vai depender de cada um.
      Não acredito em fim do mundo, acredito apenas que estamos acelerando a cada dia a nossa morte.

      Excluir