segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Fuga ao Distrito



E aí pessoas!?

Como foi o carnaval de vocês?
E vocês incrédulos reclamões, como foi o feriado? Afinal, você não curte carnaval, assim como eu, mas adora ficar uns cinco dias de pernas para o ar. Ou pelo menos livre de tormentos com horas contadas e prazos enlouquecedores hehe’.

Olha, o Brasil precisa mudar muito se quiser de fato estar em algum ranking entre os melhores países para se viver, mas tenho que dizer que apesar dessa feriada’iada eu fico muito satisfeita.
Todo mundo fala de corrupção, de isso ou aquilo, mas todo mundo ( todo mundo brasileiro neah amigo??? ) se corrompe, não é verdade?
Desde aquela latinha de soda caustica com sabor de cola que tu joga no meio da rua, até aquele xixizinho que tu faz perto de algum patrimônio publico.
Posso incluir também aquela melequinha de nariz que tu coloca debaixo da cardeira/parede/roupa, e o fato de querer dinheiro a todo custo e por isso cobra altos juros dos próprios parentes que estão mais lascados que você!
Fato, todos estamos fadados à corrupção.
O querer mudar não é o mudar, o querer fazer não é o fazer e por aí vai.
Esses exemplos que disse são nissin Qui’Nojo da nossa conduta corrupta.
E não podemos nos queixar de nada que engolimos hoje porque tudo é conseqüência de escolhas feitas no passado, OBVIO.
Ou tu vai me contestar dizendo que não achou engraçado ter visto um humorista ser eleito deputado federal? Ele não foi eleito sozinho, e o percentual de votos não vieram do nada.
Ele e o restante de artista que de algum modo querem dar o apoio moral as mudanças benéficas que nós tanto precisamos, mas não vimos de fato nada mudar.

Mas vamos mudar o rumo deste texto.
Vou falar do cumulo ‘’corruptivo’’ que eu tive este fim de semana.


Infelizmente desta vez não tirei foto alguma :(


Primeiro eu mando um abraço a todos os candangos, brasilienses, e aos moradores dos arredores do Distrito Federal.
Hoje eu vou falar de uma viagem que fiz, e ofereço este post a vocês.

Para começar nem tudo na vida é regras, e nem tudo é sem lei.
De segunda a segunda eu faço geralmente as mesmas coisas e como não é de costume eu sair, simplesmente fiz o contrário.
Surgiu um convite inesperado e de cara aceitei! Por quê? Porque sim oras, eu não faço nada de diferente. Então eu fui.

Pessoas normais iriam direto ao terminal rodoviário, ou aeroporto para quem tem cascalho $$ sobrando neah? E eu fui logo aos coiotes banduleiros  mesmo. O preço é o mesmo de um bus com ar condicionado, mas a rapidez e a diversidade de poder conversar com gente estranha não tem preço!

Conhecemos um senhor (motorista) da qual possuía em seus olhos e bolsos uma ganância em querer nos cobrar um valor maior para nos levar a um lugar pior, ops quer dizer, um lugar ruim de desembarcarmos.
Antes de sairmos de Goiânia, rodamos ainda mais um pouco a procura de novos clientes, mas por graças ao destino e a data, só eu ele e a pessoa que me acompanhava fomos rumo ao Distrito.
A viagem estava boa, tudo agradavelmente legal, que vista maravilhosa é sair de Goiânia! Até o (in)feliz do motorista encontrar dois viajantes e lotar o carro de perfume diferente ¬¬
E assim foi, o assunto central era falar mal de escolhas erradas feitas pela população, política.
Um blá, blá, blá daqui, outro ali e tanto o motorista como um dos passageiros diziam que no país de onde eles moraram a anos era melhor.
O japa-gaucho disse que uma Coca Soda no Japão custa 26 reais. Mas que lá tudo é absurdamente correto. Todos respeitam, e se não respeitarem ( dependendo da situação ) é morte.
Já o motora disse que nos EUA as leis de transito são seguidas a risca, e qualquer delito cometido na auto estrada é descoberta pelos guardinhas de transito policiais americanos dãaaaa !
Mas não poderiam deixar de falar que no Brasil existem corruptos, que o dinheiro publico vai para o ralo, que sustentamos políticos e que pagamos altas taxas de juros, etc e tal – o de sempre.

Eu na minha, curtindo o mato a fora, e o odor de perfume vencido em um dos passageiros pensei comigo – Poxa vida, que coisa hein, moramos num país que tem todas as riquezas naturais a sua disposição, mão de obra, estrutura mas o que empobrece tudo isto é o fato de nós brasileiros sermos facilmente comprados por causa de voto.

É isso mesmo GARELE, voto!
Todo ano eleitoral é aquela ladainha de fulano vai ser reeleito, mas vive roubando.
- Uai fidideusu, então por que diabos tu vota nos lixos, já que é assim que tu diz que são?
Ah vá! Não pode ver 300 conto fácil que já quer sair levantando bandeira de político, aposto que não sabia nem metade do que ele se propunha a fazer, ou se sabia, hoje nem faz questão de procurar saber se ele está de fato cumprindo o que prometera ( se foi eleito,claro! ) .
Viajei no pensamento aqui, mas viajei nisso bem mais na viagem.

Os dois tripulantes terrenos saíram antes de entramos no Distrito Federal
( graças! ). E seguimos em direção a uma das váaaarias cidades satélites que existem.
Sério, não é por nada não mas é tão confuso, e ao mesmo tempo legal, saber que você está em um determinado lugar e de fato não estar no lugar da qual gostaria de estar, mas estando. Entendeu?
Chegamos em Taguatinga. Mais precisamente próximo a rodoviária e a estação de metro.

Minha pessoa aqui, nunca andou de metro/avião/trem/navio/ na vida, até aquele dia isso mudar.
Em Goiânia conhecemos o MetroBus, que é uma forma escrota de dizer que, nós não temos metro e sim um Ônibus que imita um metro ¬¬
Andamos e vimos à diversidade cultural. Pessoas de todos os tipos. Eu achava que só via meia calça preta em sites de moda, mas o metro da capital do país tem de tudo.
Você vai notando o status social pelo local de desembarque. Mas no centro todo mundo é igual. Rico ou pobre, limpo ou sujo, com ou sem, você é um dentro o povão que passa por aquela área.

Entonces depois de termos cortado a cidade, fomos para a rodoviária central.
E mais uma vez, vimos de tudo.
Como é grande, você não tem tempo de assimilar onde está, e se ficar com cara de tapado, pode crer que o pessoal da pesada vai de roubar um dólar, ou melhor, um real.
Minha mãe sempre teve medo de andar por aquela banda, essa idéia de que em Brasília só tem ladrão é falsa, mesmo porque em todo o lugar sempre haverá um mal feitor, e não é porque está entre uma multidão que irá ser o sorteado, existem milhões de jeitos de ser tapeado e roubado neah?

Certo momento em que eu caminhava, alguém na parte superior da rodoviária vomitou e quase me preencheu com aquela coisa branca que mais parecia coco de pombo!!!

Chega.
Depois disso um passeio de ônibus. O que nunca entendi em Brasília, não é o alto preço da passagem, porque é até em conta, afinal tudo é distante de tudo, mas a questão de ter uma frota de ônibus velhos.
Estive em um que nem a tal cordinha não funcionava, você tinha que bater na porta se quisesse que o motorista lhe deixasse no ponto seguinte, e para acabar, você tinha que dar um chute para que a porta se abrisse.
Pô Brasília vamos melhorar!

Mas não quero falar mal dela não, eu acho DF perfeito, pareci que tudo está em harmonia, no plano piloto nem se fala. E olha que coisa linda, eles fecham uma parte da rua para as pessoas lindas fazerem ginastiquinha, andar de bike com seus filhos, e fazer esportes radicais *---* 
Dentre tanta coisa ruim que lemos e vemos por aí falando de Brasília, vejo que muitos estão desinformados, toda cidade tem suas perrengues, mas no conceito qualidade, eu só dou nota 10 a Brasília.
Se o gnomo da sorte me permitir, Brasília é a primeira cidade na lista das cidades em que vou construir minha multinacional.

A única coisa ruim da viagem foi o fato de eu ter levado o netbook com a carga no final e ter esquecido em casa o carregador ¬¬º 
( Na verdade queria ter dito: - A única coisa ruim da viagem, foi o fato de eu ter um carro e ter que ficar andando clandestinamente )
Muita burrice, ou falta de sorte.

Na próxima vez espero que algum candango me convide para dormir em sua humilde casinha entre o Lago Sul, ou a Granja do Torto.

E para falar em falta, não ganhei na Mega Sena mais uma vez.
#Trágico.



Hasta La Vista
\o_



Não conta a ninguém que eu viajei escondido =P

Um comentário:

  1. Sabe quando se lê algo e você se teletransporta na história? Pois é... Assim que me senti ao ler, é como se tivesse me levado junto nessa fugidinha :)

    Tirando todo o fato de eu já ser suspeito e acompanhar o 100 ideias a bom tempo e já fazer parte disso aqui, eu preciso dizer que gostei muito, és a minha personagem da vida real preferida rs.

    ResponderExcluir